quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Genoino pode tomar posse como deputado na próxima semana

Ele entra na vaga de Carlinhos Almeida (PT-SP), que assume prefeitura
BRASÍLIA - A Secretaria-Geral da Mesa da Câmara recebeu nesta quinta-feira o pedido de renúncia do deputado Carlinhos Almeida (PT-SP), o que abre espaço para que o ex-presidente nacional do PT e réu condenado no julgamento do mensalão José Genoino tome posse como parlamentar. Segundo informações da Câmara, o documento pede a desincompatibilização de Almeida do mandato a partir do dia 1º de janeiro, quando assume como prefeito de São José dos Campos (SP). Com isso, se o ex-presidente do PT quiser ocupar uma cadeira na Câmara, ele poderá assumir como deputado já na próxima semana.

Genoino foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por formação de quadrilha e corrupção ativa no julgamento do mensalão e sua pena soma seis anos e 11 meses de prisão, além de multa no valor R$ 468 mil. Ele é o primeiro da lista para assumir um posto na coligação formada nas eleições de 2010, segundo dados levantados pela Câmara. O ex-presidente do PT é o segundo suplente da coligação, mas o primeiro, Vanderlei Siraque (PT-SP), assumiu como deputado federal na vaga deixada por Aldo Rebelo, atual ministro do Esporte.

O presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), vem defendendo que Genoino tem o direito de assumir o posto mesmo após o STF ter determinado a perda dos diretos políticos dos condenados no julgamento do mensalão. Para Maia, as decisões da Corte só valem após o processo ter sido transitado em julgado.

Fonte: Jornal o Globo

Gerson Sartori (PT) deve assumir a presidência da Câmara

Segundo reportagem do Jornal de Jundiaí Regional, o vereador eleito Gerson Sartori (PT) deve ser escolhido como o novo presidente da Câmara no próximo dia 1º.

Segundo ele, com exceção dos três vereadores do PSDB, todos os parlamentares já confirmaram o apoio. Ele nega que tenha havido troca de cargos pelo apoio à candidatura. "Estou trabalhando com muito diálogo. Não existe isso de troca de favor. Inclusive, o prefeito eleito já definiu seu secretariado."

Apesar de ter saldo positivo nas conversas, Sartori ainda desconversa sobre o cargo. "Ninguém senta na cadeira antes da escolha. Prefiro ainda não comemorar, mas acredito na palavra das pessoas. Posso dizer que está praticamente certo."

Entre os apoiadores estão: 
Paulo Sérgio Martins, do PPS; Leandro Palmarini e Dirlei Gonçalves, do PV; Antônio de Pádua Pacheco, do PSB; Marcelo Gastaldo e Valdeci Delano, ambos do PTB; José Adair e Rogério Ricardo da Silva, do PHS; Marcio Cabeleireiro (PR), José Dias, do PDT; Antônio Carlos Pereira Neto, o Doca, e Roberto Conde, da coligação PP/PRB. Além desses, são votos certos dos "companheiros" Marilena Negro e Paulo Malerba, do PT; e Rafael Purgato (PCdoB).

Bom nome - Para o prefeito eleito Pedro Bigardi, Gerson é um bom nome. "É bom estar esperançoso, mas é preciso aguardar até a última hora. O importante é que ele é preparado e tem experiência." Pedro frisa que não está interferindo nas negociações. "Tenho conversado raramente com os parlamentares. Estou deixando tudo nas mãos do Gerson."

Indecisos? - Apesar de Gerson Sartori afirmar que o PV já sinalizou apoio, o presidente do partido Eduardo Palhares nega que exista decisão formada. "Estamos negociando." A mesma resposta vem de José Dias, Márcio Cabeleireiro, Marcelo Gastaldo, Valdeci Delano, Roberto Conde e Antônio Pádua Pacheco. O presidente do PP Edilson Crispim foi procurado pela reportagem do JJ Regional e não foi localizado.


PSDB - Pelo PSDB, Gustavo Martinelli e José Galvão Braga Campos, o Tico, já manifestaram interesse no posto. O presidente tucano, José Antônio Parimoschi, afirma que fará reunião para definir o nome do candidato tucano à presidência da casa. Entretanto, além de Martinelli e Tico, o PSDB terá apenas um aliado: o também vereador tucano Rafael Antonucci.

Por LUANA DIAS - JJ

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Novo secretariado de Pedro Bigardi - Quase Completo.

                          Faltam apenas guarda Municipal e a novata Secretaria de segurança Pública

Secretaria da Casa Civil
José Carlos Pires (conhecido como Zeca) - Advogado, Homem forte do PC do B estadual, mora em Jundiaí há 1 ano e meio, nasceu na Bahia.

Secretaria de Saúde
Cláudio Miranda - Médico Cardiologista, candidato a prefeito (não eleito) pelo PMDB no segundo turno apoiou Bigardi.

Secretaria de Educação
Durval Orlato(PT) - Vice prefeito eleito, especula-se que ele pode deixar o cargo daqui um ano e dar a vaga para o Ex-prefeito de Várzea Paulista, Prof° Eduardo Tadeu também do PT. 

Secretaria de Obras
Júnior Aprillanti - Candidato a prefeito pelo PC do B em Várzea Paulista, não eleito.

Secretaria de Administração
Denis Crupe - Advogado, membro da equipe de transição. Filho de Osmil Crupe, ex-secretário de Trânsito do ex-prefeito Walmor , presidente do PSD em Jundiaí.

Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente
Daniela da Câmara - Arquiteta e Decoradora. 

Secretaria de Assistência Social
Marilena Negro(PT), funcionaria pública, vereadora eleita pelo Partido dos trabalhadores.

Secretaria de Transportes
Dinei Pasqualini - Doou 24 mil reais para a campanha de Pedro. Em seu currículo, está o monitoramento de projetos para a Copa de 2014 na cidade de São Paulo, a estruturação da APO (Autoridade Pública Olímpica) e estudos para diversos dos estádios em reforma por todo o país.

Secretaria de Recursos Humanos
Mary Fornari Marinho - Pós-graduada em Gestão Educacional, trabalhava antes na secretaria de ensino de Jundiaí.

Secretaria de Negócios Jurídicos
Edson Aparecido da Rocha - Ocupava o mesmo cargo na vizinha Várzea Paulista.

Secretaria de Serviços Públicos
Aguinaldo Leite - Ex - assessor do deputado federal Durval Orlato, estava trabalhando na administração petista na cidade de Porto Feliz. Membro do PT de Jundiaí. 

Secretaria de Esportes
Cristiano Lopes - Empresario, praticante de motocross, ex-candidato a vice prefeito junto com Pedro Bigardi, derrotado nas eleições de 2008.

Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Turismo Rural
Marcos Brunholi - Empresario da rede de restaurantes e adegas que leva seu sobrenome.

Secretaria de Comunicação Social
Cristiano Guimarães - Publicitário - Ex-chefe de gabinete do então deputado Pedro Bigardi.

Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência E Tecnologia
Marcelo Cereser - Empresario - Diretor da Castelo Alimentos e Conselheiro da Viti Vinícola Cereser.

Secretaria de Finanças
Paulo Roberto Galvão - Mestre em contabilidade, empresario do ramo.

Secretaria de Cultura
Tércio Marinho - Dançarino, presidente do PC do B de Jundiaí.

Coordenadoria de Igualdade Racial
Vanderlei Victorino (BA) - Coreografo, candidato derrotado pelo PSOL, no segundo turno apoiou Bigardi.

Coordenadoria de Apoio aos Conselhos Municipais
Eginaldo Honório - Advogado, candidato a vice prefeito ao lado de Ibis Cruz, no segundo turno apoiou Bigardi.

Ouvidoria Municipal

João Rocha - Presidente do pequeno e modesto PSL, partido que apoiou Pedro Bigardi nas eleições.

Procon
Adilton Garcia - Advogado, candidato a vereador pelo PPL e presidente do Partido na chapa do Pedro.

Companhia de Informática de Jundiaí (Cijun)
Gilberto Marcus Paulielo de Novaes - Empresario- atua na área de tecnologia desde 1995.

Diretor-Presidente DAE S/A
Jamil Yatim - Membro do PT de Jundiaí, ex-diretor financeiro do CEAGESP, suposta indicação do partido dos trabalhadores através de Paulo vieira, investigado na operação Porto Seguro, segundo a revista época. Trabalhou em Guarulhos, onde foi demitido por justa causa. Yatim nega.

Tv Educativa (TVE)
Thiago Godinho, ex-assessor do Vereador Durval Orlato, jornalista, ex -jornal de Jundiaí.

Guarda Municipal
Ainda não divulgado - Especulações dizem que será a delegada Fatima Giassetti.

Segurança Pública
Ainda não divulgado - Especulações dizem que será o delegado Paulo Sérgio Martins

Fumas(Fundação Municipal de Ação Social)
Rodrigo Mendes Pereira - Graduado em Direito pela USP. Atua no Terceiro Setor. Assessor jurídico e técnico em projetos sociais.

Iprejun(Instituto de Previdência de Jundiaí)
Eudis Urbano, Gerente Executivo do INSS Jundiaí


Escola de Governo
Marcelo Lo Monaco - Foi o coordenador do plano de governo do prefeito eleito Pedro Bigardi.

Defesa Civil
Coronel Carbonari - Coronel da policia militar do estado de São Paulo, candidato a vereador pelo PSL, não eleito.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Orgulho por ter mudado?

*Artigo de Marcio Ferrazzo

Menos pelo conteúdo que o atual prefeito Miguel Haddad disse recentemente em entrevista no Jornal de Jundiaí e mais pelo tom, o recado está transmitido: ele permanece no jogo e não deixará as pessoas esquecerem a contribuição que deu para a cidade até aqui – não muda de partido porque ele tem o DNA da mensagem a ser trabalhada.

Se a população resolveu exercer a saudável alternância de poder, não quer dizer que não credite ao longo e bem sucedido projeto político tucano, boa parte – se não a totalidade – dos méritos pelo sentimento de orgulho da cidade. O desafio de manter e transformar essa percepção será do tamanho da expectativa que o prefeito eleito, Pedro Bigardi, gerou na campanha eleitoral.

O orgulho de ser jundiaiense sempre foi o principal mote do PSDB para pregar o certo contra o duvidoso. Construiu isso com muita habilidade e só chegou ao segundo turno nesta eleição pela solidez desse alicerce – mesmo diante dos inúmeros errosna campanha, do desconhecimento do nome de seu candidato, Luiz Fernando Machado,perante os eleitores e do extremo desgaste natural pelos mais de 20 anos de poder.

Curioso o fato de que o slogan da campanha vitoriosa, “Confiança para Renovar”, poderia naturalmente ser utilizado por Machado. A própria frase reconhece o legado e propõe à cidade que, simplesmente, renove. Comum ouvir de muitos eleitores que não importava o motivo, mudar era preciso.

Derrotado quatro vezes na tentativa de chegar à chefia do Executivo, o prefeito do PCdoB terá agora que arcar com o ônus de governar uma cidade que não se contenta com pouco e construir na prática a imagem de bom gestor, conseguindo aliar o apetite naturalmente voraz de partidos há tantos anos na espreita com sua promessa de cortar significativamente os cargos em comissão e privilegiar nomes técnicos,por exemplo.

Cada nomeação de um secretário inexperiente ou reconhecido pela opinião pública como mera acomodação política poderá no caso de uma eventual crise do futuro governo, servir de munição para ser acusado de incompetente e fraco politicamente, o contraponto ideal para abastecer o grupo liderado por Haddad.

Bigardi não terá elementos para seguir os passos do ex-presidente Lula e demonizar seu antecessor. Mesmo com a grande contribuição dada ao país, Fernando Henrique Cardoso entregou o governo num período de crise econômica e, apesar dos significativos avanços institucionais, com uma das maiores desigualdades sociais do planeta.

Estratégia diversa foi usada por Bigardi em recente artigo publicado no Jornal Bom Dia Jundiaí, assinado em conjunto com sua futura secretária de Planejamento, Daniela Câmara, onde buscou ligar a paternidade do sucesso de Jundiaí a razões como a privilegiada localização geográfica e importantes períodos históricos, de certa forma buscando desconstruir a imagem projetada pelo PSDB.

Para desmontar a armadilha colocada adiante, o grupo político do futuro governo precisa ir além desse frágil discurso e materializar perante os olhos da população o porquê sua vitória foi necessária.Mesmo se conseguir manter o padrão administrativo, terá que mudar claramente práticas políticas e ser reconhecido por isso.

Márcio Ferrazzo é estudante e empresário, foi assessor especial da Juventude, presidente dos Novos Tucanos de Jundiaí e secretário estadual de Jovens Candidaturas do PSDB. Desde janeiro de 2012, se desligou do partido e da prefeitura.

Lula deu 'ok' a empréstimos do mensalão e recebeu de esquema, diz Valério

Novas acusações fazem parte de depoimento prestado por empresário mineiro à Procuradoria-Geral da República em 24 de setembro, dias após ser condenado pelo STF


O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza disse no depoimento prestado em setembro à Procuradoria-Geral da República que o esquema do mensalão ajudou a bancar "despesas pessoais" de Luiz Inácio Lula da Silva. Em meio a uma série de acusações, também afirmou que o ex-presidente deu "ok", em reunião dentro do Palácio do Planalto, para os empréstimos bancários que viriam a irrigar os pagamentos de deputados da base aliada.

Beto Barata/AE
Freud e Lula na Granja do Torto no fim de 2002
Valério ainda afirmou que Lula atuou a fim de obter dinheiro da Portugal Telecom para o PT. Disse que seus advogados são pagos pelo partido. Também deu detalhes de uma suposta ameaça de morte que teria recebido de Paulo Okamotto, ex-integrante do governo que hoje dirige o instituto do ex-presidente, além de ter relatado a montagem de uma suposta "blindagem" de petistas contra denúncias de corrupção em Santo André na gestão Celso Daniel. Por fim, acusou outros políticos de terem sido beneficiados pelo chamado valerioduto, entre eles o senador Humberto Costa (PT-PE).

A existência do depoimento com novas acusações do empresário mineiro foi revelada peloEstado em 1.º de novembro. Após ser condenado pelo Supremo como o "operador" do mensalão, Valério procurou voluntariamente a Procuradoria-Geral da República. Queria, em troca do novo depoimento e de mais informações de que ainda afirma dispor , obter proteção e redução de sua pena. A oitiva ocorreu no dia 24 de setembro em Brasília - começou às 9h30 e terminou três horas e meia depois; 13 páginas foram preenchidas com as declarações do empresário, cujos detalhes eram mantidos em segredo até agora.

O Estado teve acesso à íntegra do depoimento, assinado pelo advogado do empresário, o criminalista Marcelo Leonardo, pela subprocuradora da República Cláudia Sampaio e pela procuradora da República Raquel Branquinho.

Valério disse ter passado dinheiro para Lula arcar com "gastos pessoais" bem no início de 2003, quando o petista já havia assumido a Presidência. Os recursos foram depositados, segundo o empresário, na conta da empresa de segurança Caso, de propriedade do ex-assessor da Presidência Freud Godoy, uma espécie de "faz-tudo" de Lula.

O operador do mensalão afirmou ter havido dois repasses, mas só especificou um deles, de aproximadamente R$ 100 mil. Ao investigar o mensalão, a CPI dos Correios detectou, em 2005, um pagamento feito pela SMPB, agência de publicidade de Valério, à empresa de Freud. O depósito foi feito, segundo dados do sigilo quebrado pela comissão, em 21 e janeiro de 2003, no valor de R$ 98.500.

Segundo o depoimento de Valério, o dinheiro tinha Lula como destinatário. Não há detalhes sobre quais seriam os "gastos pessoais" do ex-presidente.

Ainda segundo o depoimento de setembro, Lula deu o "ok" para que as empresas de Valério pegassem empréstimos com os bancos BMG e Rural. Segundo concluiu o Supremo, as operações foram fraudulentas e o dinheiro, usado para comprar apoio político no Congresso no primeiro mandato do petista na Presidência.

No relato feito ao Ministério Público, Valério afirmou que no início de 2003 se reuniu com o então ministro da Casa Civil, José Dirceu, e o tesoureiro do PT à época, Delúbio Soares, no segundo andar do Palácio do Planalto, numa sala que ele descreveu como "ampla" que servia para "reuniões" e, às vezes, "para refeições".

Ao longo dessa reunião, Dirceu teria afirmado que Delúbio, quando negociava com Valério, falava em seu nome e em nome de Lula. E acertaram, ainda segundo Valério, os empréstimos.

Nessa primeira etapa, Dirceu teria autorizado o empresário a pegar até R$ 10 milhões emprestados. Terminada a reunião, contou Valério, os três subiram por uma escada que levava ao gabinete de Lula. Lá, na presença do presidente, passaram três minutos. O empresário contou que o acerto firmado minutos antes foi relatado a Lula, que teria dito "ok".

Dias depois, Valério relatou ter procurado José Roberto Salgado, dirigente do Banco Rural, para falar do assunto. Disse nessa conversa que Dirceu, seguindo orientação de Lula, havia garantido que o empréstimo seria honrado. A operação foi feita. Valério conta no depoimento que, esgotado o limite de R$ 10 milhões, uma nova reunião foi marcada no Palácio do Planalto. Dirceu o teria autorizado a pegar mais R$ 12 milhões emprestados.

Portugal Telecom. Em outro episódio avaliado pelo STF, Lula foi novamente colocado como protagonista por Valério. Segundo o empresário, o ex-presidente negociou com Miguel Horta, então presidente da Portugal Telecom, o repasse de recursos para o PT. Segundo Valério, Lula e o então ministro da Fazenda, Antonio Palocci, reuniram-se com Miguel Horta no Planalto e combinaram que uma fornecedora da Portugal Telecom em Macau, na China, transferiria R$ 7 milhões para o PT. O dinheiro, conforme Valério, entrou pelas contas de publicitários que prestaram serviços para campanhas petistas.

As negociações com a Portugal Telecom estariam por trás da viagem feita em 2005 a Portugal por Valério, seu ex-advogado Rogério Tolentino, e o ex-secretário do PTB Emerson Palmieri.

Segundo o presidente do PTB, Roberto Jefferson, Dirceu havia incumbido Valério de ir a Portugal para negociar a doação de recursos da Portugal Telecom para o PT e o PTB. Essa missão e os depoimentos de Jefferson e Palmieri foram usados para comprovar o envolvimento de José Dirceu no mensalão.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Dos seis nomes de hoje, 5 foram troca de apoio politico. Conheça os novos nomes:

Novos secretários e coordenadores de hoje. Semana que vem a previsão é de que termine as nomeações de secretários e coordenadores.
João rocha ao centro, Presidente do PSL Jundiaí - Ouvidoria municipal.
Facebook: Não tem
Durval Orlato PT - Vice prefeito eleito- Secretario de Educação.Facebook: www.facebook.com/durvalorlato


Tércio Marinho Presidente do PC do B Jundiaí - Secretario de Cultura.
Facebook: Não tem



Vanderlei Victorino B.A - Coreografo - Ex- Candidato a prefeito pelo PSOL - Coordenadoria de igualdade Racial. no segundo turno apoiou Bigardi.


Paulo Roberto Galvão - Contador, Secretario de finanças
Mestrado em Ciências Contábeis.
Esse é bom!!!


Eginaldo Honório(Advogado vice do Ibis) - Coordenadoria de apoio aos conselhos municipais. Apoiou Bigardi no segundo turno.

Dos seis nomes de hoje, 5 foram troca de apoio politico. E aí, gostaram da renovação? =)

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Jundiaí, sempre um passo a frente...

José Antonio Parimoschi - Secretario de finanças
A FIRJAN – Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro acaba de divulgar o ranking com a evolução socioeconômica dos 5.565 municípios brasileiros. O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) revelou, que entre 2000 e 2010, mais que dobrou a quantidade de cidades brasileiras em patamar moderado de desenvolvimento. Jundiaí aparece na 9ª colocação, considerando o ranking geral das cidades. Analisando as cidades de mesmo porte populacional (de 200 a 500 mil), subimos para a 2ª posição no país e no estado. 

O diferencial na sua classificação está na nota obtida, superior a 0,9 (o índice vai de 0 a 1). Somente duzentas cidades conseguiram alcançar o patamar alto de desenvolvimento, a grande maioria delas localizadas nas regiões Sudeste e Sul. 

O IFDM tem periodicidade anual e considera três áreas de desenvolvimento: emprego e renda, educação e saúde, utilizando-se de estatísticas oficiais divulgadas pelos Ministérios do Trabalho, Educação e Saúde. Em 2012, os dados oficiais mais recentes disponíveis são de 2010, o que possibilitou uma análise detalhada das transformações sociais que marcaram as cidades brasileiras na primeira década dos anos 2000.

Os resultados mostram que Jundiaí se transformou numa das cidades mais importantes do país na última década, impulsionada por um período de prosperidade econômica e de investimentos públicos em áreas sociais estratégicas, como educação e saúde. A cidade, que tem cerca de 380 mil habitantes, cresceu a uma taxa geográfica de 1,3% ao ano, menos que a média das cidades do mesmo porte nos últimos dez anos (1,9%), e possui bons indicadores de bem estar, que refletem na qualidade de vida da sua população.

Na economia, o município vem apresentando acentuado crescimento dos níveis de renda e emprego, com a atração de novas indústrias – diversificando ainda mais o seu parque –, expansão do comércio e do setor de serviços. Em números, Jundiaí deve fechar o ano de 2012 com um Produto Interno Bruto (PIB) projetado de cerca de 25 bilhões de reais, isto é, pouco acima de 2 bilhões de reais médios mensais, e um orçamento de 1,6 bilhão de reais para 2013 (300% maior do que o orçamento executado em 2005). Educação e saúde ficam com cerca de 44% do total das receitas arrecadadas pelo município, ou com 713 milhões de reais.

Jundiaí está em um ponto privilegiado do Estado, a 50 quilômetros da capital; servida pelas principais rodovias do país e próxima de portos, ferrovias e aeroportos. Além disso, possui várias faculdades e escolas técnicas, um aeroporto, distritos industriais, alguns shopping centers com modernas instalações, fórum, complexos poliesportivos, estádios, museus, bibliotecas públicas e privadas, terminais rodoviários municipais e intermunicipais, teatros, centros culturais e artísticos, entidades sindicais e patronais, além de incontáveis parques públicos, jardins e praças arborizadas. Essa teia de fatores combinados com a boa infraestrutura é que garante ao município estar sempre à frente do seu tempo.e do desenvolvimento.

José Antonio Parimoschi é Secretário de Finanças de Jundiaí.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Especulação - Durval Orlato pode assumir a educação provisoriamente

Professor Eduardo ao lado de Pedro e Durval na câmara.
Ainda não definidas, as pastas de Educação, Obras, Segurança Publica e Cultura, deverão ser anunciadas na próxima segunda feira(3), mas nos bastidores da politica Jundiaiense fortes indícios levam ao nome do Vice prefeito eleito Durval Orlato para assumir a Secretaria municipal de educação.

Fontes revelam, que Durval não ficará durante todo o mandato, mas apenas uns 6 meses até a poeira baixar e posteriormente quem assume a pasta é o ex-prefeito de Várzea Paulista Eduardo Tadeu Pereira(PT).

No momento são fortes as especulações sobre esta questão, e o motivo do ex-prefeito Varzino não assumir logo de inicio, seria graças a alguns "assuntos pendentes em Brasilia".

Mudando de assunto.
Dr.Claudio Miranda. na campanha jurou de pés juntos que não havia negociado cargos para apoiar Pedro Bigardi. Porém, "milagrosamente" ele aparece indicado para a Secretaria de Saúde. Será que vai sair uma secretaria para o coreógrafo Vanderlei Victorino e para o lendário Ibis Cruz também? Vamos aguardar.

Dr.Claudio Miranda: "Não negociei secretaria alguma", comentou durante a campanha mas foi contemplado agora

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Mais 5 Secretários e dois superintendentes nomeados, veja os nomes


 Marilena negro - Assistência social - Vereadora re-eleita pelo PT. Deixa a cadeira para o companheiro de partido Celso Luiz Arantes.

Facebook: www.facebook.com/marilena.negro
Dr.Claudio Miranda - Saúde - Médico, ex-vereador, candidato a prefeito nas eleições de 2012, no segundo turno apoiou Bigardi

Facebook: www.facebook.com/dr.claudiomiranda









Adilton garcia - PROCON - Advogado, candidato a vereador pelo PPL e presidente do mesmo partido. Não eleito.

Facebook: www.facebook.com/adilton.garcia















Mary Fornari Marinho - Secretaria de Recursos Humanos
Supervisora na Diretoria Regional de Ensino (Delegacia de Ensino) de Jundiaí.


Facebook: www.facebook.com/maryfornari.marinho









Daniela Camara - Arquiteta - Secretária de planejamento - Foto OA
http://www.danieladacamara.com.br/


Facebook: www.facebook.com/daniela.dacamara














Dinei Pasqualini - Transportes - Foto OA
Gerente de projetos, ligado a gestão de eventos desportivos. Atual coordenador executivo do projeto de integração e implantação do monitoramento dos programas e projetos ligados a copa de 2014.
Fonte: http://goo.gl/ZHxuG


Facebook: Não tem










Gilberto Marcos Paulielo de Novaes - CIJUN - Empresario, Atualmente é diretor-técnico da Maxiweb Jundiaí. Foto OA



Facebook: www.facebook.com/jubanovaes














O restante do time você confere aqui, os secretários faltantes serão nomeados até a próxima segunda feira contou o prefeito eleito Pedro Bigardi.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Vereadores de Várzea Paulista aumentam salário em 62%

Durante o processo eleitoral, os vereadores de Várzea Paulista aumentaram seus rendimentos, o novo valor começa a valer a partir do mandato 2013-2016. Com esse aumento de 62%, eles passam a ganhar mais do que os vereadores de Jundiaí.  Dos R$ 6.192 que cada um dos 11 vereadores recebem atualmente, eles passarão a receber R$ 10 mil.

O curioso, nesse caso, é que os salários dos vereadores de Várzea Paulista estão respeitando ao teto máximo, que corresponde a 50% dos salários dos deputados estaduais, no caso dos municípios que possuem mais de 100 mil habitantes. O reajuste, portanto, está dentro da lei.

Em Jundiaí, quando os vereadores tentaram aplicar a mesma lei, ou seja, 60% dos salários dos deputados, já que Jundiaí tem mais de 300 mil habitantes, houve manifestação popular na Câmara, o prefeito vetou o projeto e os parlamentares optaram por manter, para o próximo mandato, o mesmo valor atual, cerca de R$7.500. 

A grande maioria dos vereadores varzinos foram reeleitos e receberão este aumento.

Prefeito - Além dos salários dos vereadores, os parlamentares de Várzea Paulista (e o prefeito atual já sancionou) aumentaram também os salários do prefeito, vice-prefeito e secretários a partir do ano que vem. 

O salário do prefeito, que hoje é de R$ 17 mil, passará para R$ 20 mil. O aumento é da ordem de 20%. Em Jundiaí, o salário do prefeito eleito para o próximo mandato foi fixado em R$ 18.921.

O vice-prefeito e os secretários em Várzea Paulista tiveram seus vencimentos fixados em R$ 10 mil cada.

Em Jundiaí, o vice receberá R$ 12.968. Cada um dos secretários municipais vai receber salários da ordem de R$ 13.746. 

O prefeito eleito de Várzea Paulista, Juvenal Rossi (PV), afirmou que prefere não se manifestar a respeito da votação, já que foi uma decisão da Câmara. 

E então, quem é o palhaço?

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Conheça os primeiros secretários escolhidos por Pedro Bigardi

Secretario de Administração - Denis Crupe - Advogado e membro da equipe de transição.

Facebook: https://www.facebook.com/denis.crupe
Desenvolvimento Agrário e Turismo RuralMarcos Brunholi  - Empresario, um dos proprietários da rede de restaurantes e adegas Brunholi. 

Facebook: https://www.facebook.com/marcoscesar.brunholi
 Comunicação social - Cristiano Guimarães - chefe de gabinete do deputado estadual Pedro Bigardi.

Facebook: www.facebook.com/cristiano.guimaraes.7564
 Casa CivilJose Carlos Pires - "Zeca" é da executiva estadual e conheceu Pedro Bigardi em 2009.Para acompanhar ainda mais de perto seu “patrão”, Zeca, um baiano com residência em São Paulo, mudou com a família para o bairro Eloy Chaves, em Jundiaí.  - Fonte Bom dia.

Facebook: Não encontramos
Desenvolvimento econômico - Marcelo Cereser - Empresário, um dos proprietários da empresa que leva seu sobrenome.

Facebook: Não encontramos

DAE S/A - Jamil Yatim - Membro do PT, diretor administrativo e financeiro do CEAGESP. Irmão do atual secretario de agricultura e abastecimento Jorge Yatim.


Facebook: Não encontramos.
 Serviços Publicos - Aguinaldo leite - Ex- Assessor do Durval Orlato enquanto deputado federal, atualmente é secretario de governo na administração Pestista e não reeleita da cidade de Porto Feliz mas é Jundiaiense.



Facebook: Não encontramos
Esportes - Cristiano lopes - Empresario, piloto de moto cross. Nas ultimas eleições era candidato a vice ao lado de Pedro Bigardi.


Facebook: www.facebook.com/cristiano.lopes.399488







Negócios jurídicos - Edson Aparecido da Rocha - Advogado, ocupou o mesmo cargo na vizinha Varzea paulista, segundo informações mora aqui em Jundiaí. Não achamos fotos.



Facebook: Não encontramos.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Russi supermercados, 60 de historia e a possibilidade de renovação



Empresa tradicional da cidade, pode ser assumida por um novo grupo. 
Dividas ultrapassam 200 milhões e empresario japonês pode assumir.
Conheça um pouco da historia do Russi através desse vídeo institucional. 

Saiba mais sobre a situação do supermercados Russi clicando aqui

Ex-dono do Assaí compra rede de supermercados Russi


Rodolfo Jungi Nagai, fundador da rede atacadista Assaí, que hoje pertence ao Grupo Pão de Açúcar, deve fechar hoje, segundo fontes do setor, a compra da rede de supermercados Russi, com sede em Jundiaí, no interior de São Paulo. O Russi tem 16 lojas e faturamento anual estimado em R$ 800 milhões.
Nagai ficará com o controle da empresa em troca de assumir a dívida da companhia varejista, calculada em R$ 200 milhões.
O Russi é uma empresa familiar com 60 anos de mercado. No início do ano passado, a família Russi decidiu profissionalizar a gestão e contratou Oseas Santos, ex-diretor financeiro da Anhanguera Educacional, que também já foi vice-presidente financeiro do Walmart.
No início do ano, a rede chilena Cencosud negociou a compra do Russi. Mas a aquisição não foi adiante, segundo fontes, por causa das desavenças entre os familiares, que em seguida, reassumiram o controle da rede, com lojas em Jundiaí, Várzea Paulista, Itupeva, Campo Limpo Paulista, Hortolândia, Valinhos, Bragança Paulista e Itatiba. Ainda segundo fontes, o Russi também sofreu com desabastecimento nos primeiros meses do ano, por conta de problemas financeiros da companhia. Orides Russi, um dos acionistas da rede, também é vice-presidente do conselho deliberativo da Associação Paulista de Supermercados (Apas).
Agora, Nagai deve assumir o controle e a família será afastada do negócio. As negociações entre as partes levaram aproximadamente três meses.
Pastel. Rodolfo Nagai começou seus negócios vendendo farinha de trigo para bancas de pastel de feira em São Paulo. Fundou a rede Assaí no início dos anos 70. Em 2007,quando o Grupo Pão de Açúcar (GPA) comprou 60% da empresa por R$ 208 milhões, o Assaí já tinha 30 lojas. Dois anos depois, em 2009, o grupo adquiriu o restante da companhia, por mais R$ 175 milhões.
Até o fim do ano passado, quando venceu o prazo de dois anos da cláusula de não competição - que impede o vendedor de concorrer diretamente com o comprador -, o empresário se manteve afastado do segmento. Dedicou-se ao ramo de laticínios, com a marca de queijos Vencedor. Chegou a ter seis laticínios que faturavam em média R$ 220 milhões ao ano.
Em novembro do ano passado, Nagai vendeu para a BRF - Brasil Foods o laticínio Heloísa, localizado na cidade de Terenos, em Mato Grosso do Sul, por R$ 122,5 milhões. Na mesma época, Nagai decidiu voltar ao ramo de supermercados, ao se associar em 2011 ao amigo Paulo Tadao, dono da rede paulista de supermercados Ricoy, com 74 unidades em 20 cidades e receita de R$ 1,5 bilhão. A empresa, desde então, está sendo reestruturada por Nagai e pela equipe que gerenciava o Assaí antes da venda para o Grupo Pão de Açúcar.
A reportagem do Estado tentou contato com Rodolfo Nagai e a diretoria do Russi para comentar o assunto, mas não obteve resposta.
Fonte: Estadão

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Dirceu é condenado a dez anos e 10 meses | Genuíno seis anos e 11 meses


Dirceu
Genoíno poderá cumprir a pena no regime semiaberto
Os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) condenaram nesta segunda-feira (12), no julgamento do mensalão, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu no governo LULA à pena de dez anos e dez meses de prisão pelos crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha. O ex-ministro ainda terá de pagar multa de R$ 676 mil.
Como a pena ficou acima de oito anos, o ex-ministro cumprirá a punição em regime fechado na prisão. O ex-ministro já foi preso na época da ditadura militar, em 1968, quando era líder estudantil.
PENAS DE JOSÉ DIRCEU
Formação de quadrilha2 anos e 11 meses de prisão
Corrupção ativa de parlamentares7 anos e 11 meses de prisão + 260 dias-multa
Genuíno 
O ex-presidente do PT José Genoino foi condenado nesta segunda-feira (12), no julgamento do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal), a seis anos e 11 meses pelos crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa.
Assim, Genoíno poderá cumprir a pena no regime semiaberto, que é aplicado para penas entre quatro e oito anos.
O tempo de condenação para formação de quadrilha foi de dois anos e três meses. A proposta foi apresentada pelo relator Joaquim Barbosa e seguida por todos os ministros aptos a votar-- Luiz Fux, Gilmar Mendes, Marco Aurélio, Celso de Mello e Ayres Britto.

PENAS DE JOSÉ GENOÍNO

Formação de quadrilha2 anos e 3 meses de prisão
Corrupção ativa de parlamentares4 anos e 8 meses de prisão + 180 dias-multa
Os ministros Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli, Cármen Lúcia e Rosa Weber não votaram porque inocentaram Genoino da acusação de formação de quadrilha.
Genoino também foi condenado por corrupção ativa a quatro anos e oito meses, proposta apresentada pela ministra Rosa Weber e seguida pelo relator, que corrigiu seu voto.


Colaborou : UOL.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Uma ideia que pode desafogar o Hospital São Vicente.

Sr.Irineu Romanato
Acompanhando os diversos grupos de discussões politicas no Facebook, me deparo com mais um dos textos do Sr.Irineu Romanato Filho. Este senhor (segundo informações do Facebook) faz parte do conselho gestor do HSV e a anos trabalha por melhorias na saúde Jundiaiense (segundo ele comenta nas redes).

Hoje(02/11) um texto publicado em seu perfil e copiado para vários grupos de discussão me chamou a atenção. Sr.Irineu não apenas criticou os serviços como sempre fez, mas também sugeriu algo para tentar desafogar o Hospital imediatamente, daria certo? Não sabemos, mas esta foi uma sugestão interessante mesmo sabendo que o próximo prefeito só assume em Janeiro.

Vejam o texto na integra e a ideia em "negrito" logo abaixo.

Um feriadão de finados daqueles na saúde de Jundiaí...
Novidades!
Nada!
Está tudo morto, quieto, enterrado aqui em Jundiaí!
Ninguém mexeu uma palha para iniciar as mudanças na saúde hoje, nem ontem, nem amanhã irão mexer, muito menos depois de amanhã pois é domingo.
Pedro, quando você falou que ia descer o cacete na saúde eu achei que a coisa ia pegar fogo, ferver mesmo.
Mais me parece que os 60 dias da transição vão passar e nada de mudar uma só palha do lugar.
Pedro, Pedro, ô Pedro!
Acordaaaaaaaaaa Pedro!
Ô dona Margarete tira o Pedro dessa rede na varanda.
Ô dona Margarete, ajuda ele a levantar, dá um suco de açaí para ele.
Patrícia, fala para seu pai que a saúde tem pressa!


Quando vão começar os 60 dias???
Ô Pedro, já começou a contagem dos 60 dias, são 59, 58, 57, 56 e daqui a pouco serão 2, 1 e 0.
Ninguém trabalhando, nada pela saúde, sem transição, sem idéia.
Não Pedro, não deita na rede outra vez não, chega de descansar.
Ô Zeca, Ô Patrícia, Ô Senhor Douglas, Ô dona Margarete, compra logo uma caixa de Red Bull para o Pedro!


Ah, já sei...
Vamos trazer uns 20 banheiros químicos para a praça das rosas.
Vamos trazer as barracas do exército para a praça das rosas.
Vamos chamar os médicos da marinha e do exército para atender o povo.
Vamos pedir ao Valter Costa e Silva para instalar umas pias para o povo lavar as mãos na praça das rosas!
Vamos pedir ao Ralf Milani que já deixe as ambulâncias do SAMU ali junto à praça das rosas.
Vamos fazer da praça das rosas uma central de urgência de atendimento para o povo!


Vamos se mexer!
Vamos mexer o esqueleto gente!
Vamos, vamos, vamos!
Nossa... Ele deitou na rede de novo, já vai dormir.

É não tem jeito não!
___________

Seria esta uma solução para o caos no Hospital São Vicente de Paulo? Ou apenas uma ideia que não é possível de ser implementada? Não sabemos, mas nós achamos que poderia sim dar certo, até o Hospital Regional ficar pronto.

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Paulista de Jundiaí passa por sufoco e pode fechar as portas.


A situação não está nada fácil pro Paulista de Jundiaí, o clube deve cerca de 6 milhões de reais entre funcionários e prestadores de serviço (conforme apurado pela imprensa local) e a solução está longe de ser encontrada. O clube não tem patrocinadores, não tem jogadores e somente alguns torcedores mais assíduos ainda comparecem as poucas partidas.

Dia 20 de Janeiro começa o campeonato Paulista pro Galo e o primeiro jogo é contra o Corinthians, a expectativa é de casa cheia, porém o clube de Jundiaí ainda não sabe o que fará, pois não tem jogadores suficientes e nem técnico pra entrar a campo contra o timão.

O poder público pouco pode fazer, existem leis que não permitem que a prefeitura ajude financeiramente, no minimo pode ser uma boa parceira, articulando algumas conversas e tentando trazer patrocinadores, o que não é nada fácil.

A mais de três meses ninguém recebe nada no Paulista, conforme aconteceu durante a copa paulista e o time foi desclassificado.

Qual seria a solução para o galo, como fazer o Paulista sair dessa? O presidente explica que estão fazendo o que podem para trazer recursos e assim conseguirem passar esses dois meses restantes. A ideia do presidente é fazer um "consorcio", segundo ele é mais fácil 50 empresas contribuindo com mil reais cada, do que uma unica dando 50 mil por exemplo, além do mais essas empresas poderiam ajudar distribuindo ingressos para seus funcionários e incentivando a presença deles no estadio, essa é uma das esperanças para que o time volte a ter grande publico.

Ainda não sabem ao certo o que será feito e o Paulistão está chegando, aquela vantagem do time interiorano de começar a treinar bem antes, parece que desta vez o Galo não vai ter, já que falta técnico e muitos jogadores pra completar o elenco.

"Nós estamos conversando com alguns empresários  para que eles tragam seus atletas e joguem o campeonato paulista com a gente e isso sirva de vitrine pra eles no futuro, mas se isso não acontecer, vejo que em um futuro bem próximo, o Paulista esteja fechando as suas portas." - Djair Bocanella Presidente do Paulista de Jundiaí em entrevista ao Globo Esporte.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Pedro Bigardi vence as eleições com números históricos em Jundiaí

Pedro Bigardi no momento de seu voto.
O dia 28 de outubro de 2012 entrou para a historia politica de Jundiaí, quando Pedro Bigardi vence as eleições com 134.614 mil votos, equivalente a 65,59% dos votos válidos, um recorde para a cidade.
Pedro comemorou sua vitória na associação dos aposentados e pensionistas de Jundiaí, junto de sua família, militância e apoiadores do partido.  Ele que disputa as eleições municipais desde 1996, vence e desaba nos braços do povo, como o prefeito mais votado da historia da cidade - "Se fosse fácil não ia ter o mesmo gosto dessa de agora" - Comentou o prefeito eleito.

Com 52 anos, sendo mais de 30 na vida pública, Bigardi e seu grupo irão governar uma cidade de 370 mil habitantes, com aproximadamente 1 bilhão e meio de orçamento e muita responsabilidade para manter a cidade no rumo que já está, não podemos voltar para trás agora.

Mais de 1000 pessoas acompanharam a vitoria na sede da AAPJ

A democracia foi concretizada, isso é mais importante e o novo prefeito assume no dia 1º de Janeiro de 2013.  Agora a nossa missão é cobrar para que tudo o que foi prometido em seu plano de governo seja cumprido, tais como ciclovias, mais saúde, mais transporte, lazer, cultura, educação....Vamos cobrar!

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Manifestação estudantil em Jundiaí.

Caminhão da CUT liderava a marcha dos estudantes
Entendam o caso: Ontem de manhã(02), centenas de estudantes do ensino médio, deixaram suas salas de aula, à convite de membros da CUT(presidida pelo PT) e UNE(presidida pelo PC do B) para protestar por uma universidade publica na cidade. O que será feito por hora, segundo o governo municipal, será um curso da USP com cerca de 40 vagas, e claramente não seria suficiente para os diversos estudantes de nossa cidade. A chegada do curso da USP(com apenas 40 vagas), revoltou os manifestantes e eles foram para as ruas, gritaram palavras de ordem e disseram vários palavrões contra o governo e a cidade(o que somos contra independente o governo ou situação). Veja a matéria do bom dia sobre o caso clicando aqui.

Na Fan Page do Blog, diversos estudantes entraram em contato conosco pedindo um direito de resposta, segundo eles a imprensa da cidade está distorcendo as informações, e claro, este espaço sendo democrático e de todos, abrimos para dois comentários dos cidadãos João Guilherme Furlan CiriloRafael G Vasques
_________________________________________________________________________________
Segue a mensagem do João na integra:

Cara, pela última vez: NINGUÉM DISSE QUE NÃO QUEREMOS A USP EM JUNDIAÍ! Nós só queremos que a verdade seja dita: Não precisamos de 40 vagas por um curso que (pasme) já existe na FATEC! Precisamos de uma faculdade de verdade, com uma estrutura que possa suportar a enorme demanda que a cidade de jundiaí tem de alunos em fase pré-vestibular!

Se você quer falar do que nós fomos reivindicar, faça ele da forma correta, perguntando para as pessoas que estavam lá e não seguindo fontes que COM CERTEZA estão relacionados com partidos contrários.

E vou te falar mais uma coisa: tivemos uma ''promessa'' de que esta passeata era algo totalmente APARTIDÁRIO. Eu não votaria/voto em PT nem coligados, mas estava lá protestando contra a administração atual porque eu acho uma vergonha você falar que vai trazer uma estrutura enorme e conseguir apenas 40 vagas de um curso que, sinceramente, jundiaí não precisa.

E apesar de ter consciência de que o nosso excelentíssimo prefeito Miguel Haddad não vai ler isso aqui, deixo um apelo: Cedendo uma entrevista tão porcamente esculhambada como a que o senhor fez com o Jornal da Cidade não vai conseguir angariar os votos que você tanto procura para o candidato a prefeito pelo PSDB Luiz Fernando.

Se VOCÊ se sentiu ofendido achando que os jovens tomaram uma atitude ignorante, imagine nós, que fomos totalmente manipulados por uma mídia puxa-saco e estamos sendo taxados de baderneiros fora dos limites. Que adolescente não quer que a USP venha para esta cidade? Qual adolescente não quer bater no peito e falar ''Minha cidade tem USP, uma universidade muito respeitada!''?

Qual seria os nossos argumentos para que ela não viesse? ''O trânsito vai piorar!''?
Que seja! Porque construir shopping na nove de julho, onde já é um verdadeiro caos andar não tem problema, agora, ouvir os adolescentes que pedem somente que você fale a verdade, é impossível pelo jeito.

Você me envergonha. Manipulou as mentes fracas achando que foi você quem acabou com os projetos na serra do Japi quando na verdade foi você quem começou.

Me procure, me processe, me repreenda. Mas tente, TENTE entender que essas coisas ditas pela mídia ou por qualquer outra pessoa de fora da passeata é falsa e totalmente distorcida.
_________________________________________________________________________________

Segue a mensagem do Rafael na integra:

Querido dono(a) da página "Blog Jovem Jundiaiense".

Suas últimas publicações estão completamente distorcidas à realidade. Me parece que o senhor(a) não se informou direito sobre a manifestação estudantil do dia 02/10. Antes de postar algo para as pessoas, por favor, se informe direito para não falar asneiras. E se quer ganhar popularidade da sua página, este não é o melhor jeito.
Em relação ao protesto, venho lhe esclarecer a nossa reivindicação:

- A carta de compromisso assinada pelo candidato a prefeito Luiz Fernando com a USP, dizia somente sobre 40 vagas do curso de Engenharia da Computação no complexo FEPASA. O candidato realizou a propaganda disso, dizendo que traria uma universidade pública (USP) para cá, quando na verdade, abrir somente 40 vagas de somente um único curso, não é "vinda de uma universidade pública", e sim uma extensão pequena e sem significância maior se contar pelo fato de Jundiaí ser uma cidade de porte grande;

- Em 2011, o governo federal iria construir uma Universidade Federal, bastando o governo do município doar o terreno. Mas sabe o que aconteceu? O governo da cidade não deu o terreno, e sequer se importou com isso.

- A Assembléia Legislativa vetou 2 VEZES a vinda de um campus da UNESP para Jundiaí.

Conforme dito, o senhor(a) pode ver que nossa reivindicação era sobre o fato da prefeitura não ter apoiado a vinda de uma universidade pública para Jundiaí, e somente agora na época de eleições, trazer miseras 40 vagas no complexo FEPASA. Creio que isso seja inaceitável, e a propaganda de uma universidade pública em Jundiaí pelo candidato Luiz Fernando foi completamente escassa de informações importantes. Queremos uma universidade pública de verdade, e não apenas algumas poucas vagas de um único curso;
..Sobre as ofensas: Em relação as ofensas, não nego que houve, afinal, estamos cansados de ser enganados, e o prefeito e seu candidato querer tirar vantagem fazendo marketing falso. Mas contando que o protesto durou 2 horas, totalizando todas as vezes que ofendemos, não durou nem 10 minutos, tivemos 1h e 50min de protesto limpo e democrático.

..Sobre os partidos: Nossa manifestação foi apartidária, ou seja, não houve apoio a nenhum outro partido, houve representantes de outros partidos, e alguns deles até falaram no carro de som, mas falaram pois deixamos eles se expressarem, mas em nenhum momento, confirmamos apoio aos seus respectivos partidos. E nem agora, apoiamos eles.

Para confirmar tudo o que houve, tenho esse link do Jornal de Jundiaí, simplesmente o mais renomado jornal da cidade:http://www.portaljj.com.br/interna.asp?Int_IDSecao=1&Int_ID=187264 .. Nele, você encontra a realidade do que aconteceu.
..
Esperamos que o senhor(a) fique ciente do ocorrido, e possa publicar em seu blog a realidade do que aconteceu, e não apenas o que foi postado, senão serei obrigado a pensar que vossa mercê é a favor de um partido e está fazendo propaganda dele.

Autorizo expressamente o uso integro dessa mensagem, mas somente se todo o conteúdo for postado, e não partes dele.

Obrigado, Rafael.
_________________________________________________________________________________
A direção do Blog agradece o contato de ambos, e apesar do evento ser partidário(sem a ciência dos estudantes), esperamos retorno dos governantes sobre este importante tema.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Jundiaí enfrenta problemas sérios, dizem. Mas quais problemas?

Jundiaí enfrenta problemas sérios, dizem. Mas quais problemas? Olhando de perto o cotidiano da cidade, não chega a ser surpresa notar que são os integrantes dos grupos de oposição quem mais alimentam essa tese. E nem poderia ser diferente.

Para justificar essa teoria, tais grupos apontam com alguma frequência sua listinha: desenvolvimento desordenado e a falta de investimentos em infraestrutura. O curioso, entretanto, é que Jundiaí está relacionada entre as que mais se desenvolveram nos últimos 20 anos exatamente pelos investimentos em… infraestrutura.

Vamos falar sério. O Brasil é um país que apresenta os mais baixos índices de saneamento básico do mundo. Menos da metade dos domicílios brasileiros contam com coleta de esgoto e apenas 36% do esgoto gerado nas cidades recebe algum tipo de tratamento. Cidades como Campinas e Santo André, tratam respectivamente 44,9% e 34,5% do seu esgoto coletado.

Praça da matriz
Jundiaí vem investindo em saneamento básico desde meados dos anos 80. Não é por acaso, portanto, que a cidade figure hoje em dia entre as melhores do país nesta área e ocupe a liderança no ranking de volume de esgoto tratado por água consumida.
A mesma coisa acontece com a Educação. Enquanto  várias cidades priorizavam a construção de escolas, Jundiaí priorizou a capacitação do professor e a melhoria de suas condições de trabalho. Ainda na década de 90 inaugurou o Centro de Capacitação dos Profissionais da Educação, o que permitiu melhorar sensivelmente a qualidade não apenas de professores e diretores mas também de serventes e merendeiras.

Outro tema favorito é o crescimento desordenado. Olhem em volta. Jundiaí não é um caso isolado. O Brasil inteiro passa pelos efeitos do boom imobiliário dos últimos anos. Um conjunto de medidas adotadas pelo governo federal sacudiu com bastante força duas áreas sensíveis ao planejamento de qualquer cidade: os financiamentos facilitados para aquisição de imóveis e a redução de IPI para a compra de automóveis.

Considerando esse cenário, Jundiaí está se comportando muito bem. Nos últimos 10 anos, várias vias importantes foram alargadas ou duplicadas. O volume de obras viárias é visível, o que demonstra que a cidade se adapta rapidamente a essa nova situação.

Outro detalhe ignorado. Em 2004, na última revisão do Plano Diretor, optou-se por incentivar a ocupação dos chamados vazios urbanos. A ocupação dessas áreas permite controlar a expansão horizontal da cidade, impedindo por exemplo, a invasão do cinturão agrícola ou de áreas de proteção ambiental, além de garantir o aproveitamento da infraestrutura já instalada – redes de água, esgoto e ruas pavimentadas.

É lógico que nada disso torna Jundiaí a cidade perfeita. A cidade tem problemas, sim. O próprio movimento necessário com as constantes adaptações já é um problema em si. Porém, tamanho disparate acaba afastando qualquer possibilidade de se discutir a verdadeira cidade, aquela que se movimenta todos os dias, diante dos nossos olhos.

Jundiaí não é aquele monstro pintado pelos grupos políticos de oposição. Também não é um paraíso. É uma cidade real, com problemas reais e que merece respeito na hora de se discutir sobre o seu futuro.

Texto de Ronaldo Trentini - Jornalista Jundiaiense.
Retirado do site Oa Jundiaí.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Comemoração do 7 de setembro 2012.

Pelotão do 12° G.A.C barão de Jundiaí
Alguns dos muitos carros da GM presentes no desfile
Todos os anos, centenas de pessoas se reúnem na Avenida prefeito Luiz Latorre em Jundiaí para celebrar a independência do Brasil. Tradicionalmente várias entidades desfilam pela avenida e apresentam seus membros e equipamentos para a população celebrando a liberdade conquistada a mais de 190 anos. Mas o que me chamou a atenção foram os diversos candidatos a vereador que estavam presentes, muitos entregando seus santinhos e fazendo propostas aos eleitores, santinhos estes que não ficavam muito tempo nas mãos das pessoas e logo iam de encontro ao chão.                                                                                


Outra imagem que marcou no desfile, foi a quantidade de carros da Guarda municipal de Jundiaí. Muitas viaturas novas e Jipes que ajudam na fiscalização e proteção da nossa população e também da Serra do Japi.

O entusiasmado locutor  do desfile informou ao público que a GM de Jundiaí é uma das mais equipadas do país, não duvido, pela quantidade de homens, viaturas e armamentos presentes no evento. Força máxima contra a criminalidade, mas ainda precisa de mais.



Minutos antes de começar o desfile, vista da avenida Luiz Latorre
Pouco antes do desfile começar consegui bater esta foto com o celular, do lado esquerdo a faixa vermelha no chão, que junto a cones serve de ciclofaixa para lazer aos domingos. Céu azul, muita gente animada e nosso povo "patriota" presenciaram um de nossos principais feriados nacionais.

Manifestações
Nenhum protesto político foi presenciado, apenas membros da Ong. Voto consciente distribuíram exemplares da ficha publica com o Ranking dos vereadores e propostas dos candidatos a prefeitura de Jundiaí, além de promover um café da manhã coletivo.

Ainda hoje(07/09/2012) por volta de 15:00hs , alguns manifestantes irão se encontrar debaixo do viaduto da avenida nove de Julho para protestar contra a corrupção na politica. O evento que está presente em diversas cidades do país foi organizado pelo Facebook por alguns jovens sem envolvimento politico-partidário. Segundo as regras do evento, é proibido candidatos levarem faixas e cartazes para auto promoção, tampouco ofensas contra partidos rivais. Será que funciona dessas vez, já que na marcha anterior o evento foi dividido em dois grupos distintos, oposição de um lado e situação do outro.

domingo, 2 de setembro de 2012

IBOPE: Luiz Fernando lidera pesquisas com 39% das intenções de voto.

Ibope realizou pesquisa entre 25 e 29 de agosto com 602 entrevistados, e deve fazer mostra no final da campanha eleitoral; No momento o candidato tucano está a frente dos demais com 39% das intenções de voto. Logo atrás vem o candidato comunista Pedro Bigardi com 29%, Claudio Miranda com 5% e Ibis ao lado de B.A empatam em 1%. Os entrevistados que declaram intenção de votar branco ou nulo representam 9% do eleitorado, enquanto 16% dos eleitores estão indecisos e preferiram não opinar.
A pesquisa completa foi divulgada no Jornal de Jundiaí de hoje(02/09).
__________________________________________________________________________________

Comentário de João Carlos Figueiredo.
Como seria de se esperar, a publicação da pesquisa mexeria com as partes. Quem estivesse na frente comemoraria e ficaria mais entusiasmado. 

Quem estivesse atrás, teria que explicar primeiro para si mesmo, e depois para os demais eleitores. Como isto demanda um tempo de entendimento, é mais fácil desqualificar a pesquisa, em um primeiro momento, para depois tentar reverter o quadro. 

Olhando os gráficos da pesquisa, especialmente o de aprovação dos governos federal, estadual e municipal, dá para entender o resultado de hoje. Isto explica e extrema exposição do MH ao lado do LFM desde os primeiros dias da campanha. Na cidade há uma aprovação do prefeito bem acima da presidente e do governador. 

Como estes últimos são antagonistas, se anulam, pela pequena diferença de aprovação. Será uma eleição muito disputada, mas se mostra muito difícil para a oposição. Talvez, por estar preparada para o embate com o MH, fazendo isto há 2 anos, ficou um tanto perdida com a entrada do LFM. 
O quadro não é definitivo, mas mostra uma tendência.

Os 5 prefeituraveis de Jundiaí. Luiz Fernando Lidera a primeira pesquisa Ibope divulgada hoje.

domingo, 26 de agosto de 2012

Entrevista do Luiz Fernando ao Jornal de Jundiaí - Completa.

Saúde e segurança são prioridade de Luiz Fernando

Gurda municipal nos bairros
Inserção da Guarda Municipal nos bairros, com atendimento de unidades fixas e móveis, é a proposta prioritária do deputado federal e candidato a prefeito de Jundiaí pelo PSDB, Luiz Fernando Machado, 34 anos, entrevistado de hoje da série do JJ Regional. Formado em Direito, ele iniciou a carreira política pela Câmara, onde foi vereador por quatro anos e ocupou a presidência da Casa.

Foi eleito vice-prefeito em 2008, mas dois anos depois assumiu uma cadeira na Câmara Federal. Segurança pública e saúde são as duas prioridades do candidato, que pretende não apenas descentralizar os serviços prestados nas duas áreas, mas equipar os bairros para que a população seja atendida no local. Com a máxima de que "para problemas complexos não existem soluções simples", o candidato desenvolveu propostas para todas as áreas, mas não fechou seu Plano de Governo.

"Ele não pode ser uma peça de ficção. Tem de ser uma peça de execução". Criar bases móveis da GM, a exemplo dos veículos que funcionam como bases comunitárias da Polícia Militar, é uma das ideias. "Essa base móvel poderia atuar nos bairros e em grandes eventos, como Festa Italiana, na Colônia, festa dos bairros Toca, Roseira e Caxambu, que precisam de acompanhamento.

A pessoa que está com intenção de cometer ato infracional não vai para o local onde está a base fixa, mas e o restante do bairro? Com a base móvel, é possível circular". Ampliar o monitoramento eletrônico é outro investimento que Luiz Fernando planeja para a segurança. "Hoje temos 65 câmeras. Até o final da atual gestão, teremos 83 de monitoramento, e mais 95 com o sistema OCR, de leitura de placas.

Nossa ideia é ter um cinturão de monitoramento eletrônico: todas as entradas e saídas fiscalizadas pelo OCR e os corredores centrais, pelo monitoramento eletrônico". A reedição do projeto Centro Vivo, que visa fortalecer o comércio central, é outra proposta do candidato, que diz ter grandes preocupações com o comércio de rua, por conta da instalação de novos shoppings.

"Monitoramento eletrônico no Centro e principais corredores, como ruas Pirapora e do Retiro, além de uma verdadeira brigada da Guarda Municipal, vão garantir segurança.

Atendimento 24h nos bairros

Colocar, em cinco regiões da cidade, Pronto Atendimentos 24 horas funcionando com mais serviços, é uma das propostas prioritárias do candidato tucano. "O conceito é de 'Poupatempo da Saúde'. Isso consiste na possibilidade de bairros como, por exemplo, o Santa Gertrudes e o Eloy Chaves, terem os PAs funcionando com serviços como a coleta e a entrega de exames, oportunidades que hoje só são encontradas no hospital", explica.

Luiz Fernando diz que a rede de saúde é pensada como um todo. "Se posso prestar serviços nas unidades 24 horas nos bairros, deixo de encaminhar tantas pessoas ao São Vicente. Hoje a procura lá é tanto por pessoas de alta complexidade, como infarto, quanto por baixa complexidade, como uma rinite. Problemas mais simples poderão ser resolvidos nessas unidades de bairro, diminuindo a quantidade de pessoas que procuram o hospital".

Paralelamente, Luiz Fernando propõe, emergencialmente, destinar um espaço dentro do Hospital São Vicente, para ampliar uma ala e suprir a demanda, até que o Hospital Regional seja inaugurado, em 2014.

Continuidade das obras e ciclovias
"O prosseguimento das obras que já estão iniciadas é nossa proposta porque há várias vias importantes em andamento", destaca Luiz Fernando a respeito da mobilidade urbana. Ele cita como exemplo as obras do entorno do Parque Guapeva, as mudanças na região da Ponte São João, que ligarão a avenida União dos Ferroviários com a avenida dos Imigrantes, e a continuidade da União dos Ferroviários até as proximidades da divisa com Várzea Paulista.   
Ciclovias já existentes no Jardim Botânico
Outra grande obra proposta é fazer as alças da 9 de Julho, sobrepondo a rodovia Anhanguera, e depois disso reformular o trevo de entrada da avenida Jundiaí. "Não podemos fazer uma obra sem ter a outra. Já conversei com o governador Geraldo Alckmin e a intenção é que no próximo mandato conseguiremos entregar as duas". Um amplo plano cicloviário é outra proposta. São, segundo Luiz Fernando, dois contextos: um do esporte e lazer e outro do uso da bicicleta para se deslocar para o trabalho.   

"Já temos ciclovia típica de lazer, que sai da Luiz Latorre, passa pelo Botânico e chega ao Parque da Cidade. A outra depende, primeiro, de uma mudança cultural das empresas, que precisarão ter vestiários com chuveiros - e dos motoristas, que precisarão passar por uma campanha de conscientização para respeitar o ciclista". A proposta é criar ciclofaixas na 9 de Julho, por exemplo, e ter um bicicletário em cada terminal.

Período integral e planetário

"Hoje as crianças não aprendem só na escola. Aprendem na internet, viajando, e envolvidas em atividades culturais. A escola em tempo integral dá essa oportunidade às crianças de famílias mais simples". Assim, Luiz Fernando justifica sua intenção de dobrar o número de escolas em tempo integral na cidade. "Não poderia prometer a implantação em 100% das nossas 80 escolas porque não conseguiria cumprir, mas dobrar é possível e viável", garantiu. 
Escola Jundiaiense já em período integral e meta é dobrar afirma Luiz Fernando
O candidato frisa que sua prioridade na área da educação é continuar investindo na formação do professor para que os 31.249 alunos da rede municipal tenham acesso à boa formação. "Nós temos a responsabilidade de cuidar de nossas crianças, desde a merenda até a qualidade da educação. Quero frisar que nada substitui o bom professor.

Em 2009, a média do Ideb para as escolas de Jundiaí era de 5,8 e hoje é de 6,3, projeção que havia para 2015". Outros dois projetos de impacto são a implantação de um planetário no Parque da Uva e um Museu da Ciência no Complexo Fepasa, em parceria com a USP ou Fatec. "É um repertório maior no aprendizado. E já sabemos que os custos são possíveis".

Fiscalização e visitas à Serra
Criar um programa de visitas monitoradas à Serra do Japi e ampliar os portais que existem na região sul (Santa Clara), com a implantação de duas bases de controle de acesso, a ser realizado pela divisão florestal da Guarda Municipal, a partir do ano que vem, são os principais projetos de Luiz Fernando Machado.

"A proposta é também fazer um convênio com o Instituto Amazon, que faz todo o monitoramento da Floresta Amazônica, para que seja feito o mesmo trabalho aqui na Serra do Japi. E esse monitoramento deverá ser disponibilizado para o cidadão, através de um link na internet para que todo mundo possa saber aonde e o que está acontecendo na Serra em tempo real".

Jipes Marruá, meta é ampliar esses veículos  para uma fiscalização melhor da Serra
Luiz Fernando destaca que a pretensão é ampliar a fiscalização existente, que já ganhou reforço com a chegada dos três jipes Marruá. Atualmente, segundo ele, a Guarda Municipal tem 72 veículos, sendo 12 motocicletas e os três jipes. "Queremos ampliar o número de motocicletas e o número de jipes para uma fiscalização melhor."
Sobre a legislação, o candidato frisa que a legislação atual já é bem restritiva, mas o que falta é dar corpo à fiscalização para que a lei seja cumprida. "O que garante a preservação não é criar novas leis, é garantir, através de fiscalização, que a lei atual, que é bem complexa e restritiva, seja respeitada".

O entrevistado do próximo domingo (2 de setembro) da série do JJ Regional será o candidato comunista Pedro Bigardi (PCdoB).

Textos: Jornal de Jundiaí
Fotos: Arquivo site da Prefeitura

Pesquisar matérias anteriores